EXERGAMES COMO FERRAMENTA TERAPÊUTICA EM PACIENTES COM PARKINSON: UMA REVISÃO DE LITERATURA

Autores

  • Lucas Nunes dos Santos UNILEÃO
  • Andreza Bitu de Matos UNILEÃO
  • Antônio José dos Santos Camurça UNILEÃO

DOI:

https://doi.org/10.16891/2317-434X.v.10.e1.a2022.pp1264-1266

Resumo

A doença de Parkinson (DP) é crônica, degenerativa e debilitante, resulta em disfunções motoras, que levam à fraqueza muscular, dores e tremores, dificultando a realização de atividades como em andar e levantar de cadeiras. A reabilitação através dos exergames vem ganhando destaque, devido ao seu caráter inovador, descontraído e motivacional, principalmente para pacientes crônicos, que requerem muito tempo de tratamento. Este estudo tem o objetivo de realizar uma revisão bibliográfica sobre os exergames como ferramenta terapêutica em pacientes com DP. Nesta Revisão de Literatura, incluíram-se artigos científicos publicados nos últimos oito anos, disponíveis nas principais bases de dados da área da saúde, usando como critério de inclusão os termos: Doença de Parkinson, Exergames, Equilíbrio Postural. A análise das publicações selecionadas evidenciou a suposta melhora nas atividades de vida diária desses pacientes. Terapia com exergames apresentaram resultados melhores ou semelhantes em relação aos grupos de controle (reabilitação tradicional), sejam nas funções motoras ou cognitivas. Evidências indicam que as terapias baseadas em exergames podem ser consideradas como viáveis, seguras e pelo menos tão eficaz quanto a reabilitação tradicional da DP, pois têm capacidade de aumentar a aderência aos exercícios e a confiança no equilíbrio, porém, as evidências são limitadas, pois não há uma padronização dos parâmetros adotados.

Downloads

Publicado

2022-02-07

Edição

Seção

Artigos