AVALIAÇÃO DE DIFERENTES EXTRATOS DA CASCA DE ANNONA SQUAMOSA PARA POTENCIAL ANALGÉSICO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.16891/2317-434X.v10.e2.a2022.pp1456-1462

Resumo

Plantas medicinais são cada vez mais investigadas no intuito de encontrar compostos de interesse biotecnológico. Nesse contexto, partes pouco utilizadas de plantas reportadas como medicinais são de alto interesse para bioprospecção e sustentabilidade. Pinha, Annona squamosa, é uma planta frutífera bem utilizada no Brasil e se enquadra nesse perfil. Com isso, o objetivo deste estudo foi comparar a extração de compostos da casca da pinha por diversos solventes e avaliar qual possui melhor atividade analgésica. Pinhas foram coletadas no município de Recife, PE, e o pó da casca foi submetido a extração por água, metanol, acetato de etila, clorofórmio e ciclohexano. Foi realizada triagem para identificação de vários metabólitos primários e secundários e foi realizado teste de analgésico para confirmação do potencial biológico. O rendimento foi de acordo com o grau de polaridade do extrato, extratos com maior polaridade apresentaram maior rendimento. Além disso, os extratos aquoso e metanólico apresentaram maior variedade de constituintes e maior potencial analgésico, pouco mais de 50 %. Água e Metanol se mostraram eficientes na extração de compostos de interesse medicinal da casca da pinha. Destes, a água é tida como o solvente de melhor escolha, tendo em vista o risco de toxicidade causada pelo metanol. 

Downloads

Publicado

2022-07-19

Edição

Seção

Artigos