ALFABETIZAÇÃO NA PERSPECTIVA FREIRIANA DE EDUCAÇÃO E SUA RELAÇÃO COM O BEM-ESTAR SUBJETIVO

Autores

  • José Leandro Neto Centro Universitário Dr. Leão Sampaio
  • Erick Klepton Oliveira UNILEÃO
  • Luiz Kennedy Almeida Silva UNILEÃO
  • Millena Raianny Xavier Silva UNILEÃO
  • Maria Patrícia Alencar Centro Universitário Doutor Leão Sampaio (UNILEÃO)
  • João Borges Lopes Instituto Piaget, Universidade de Évora e Universidade do Algarve -Portugal

DOI:

https://doi.org/10.16891/373

Resumo

A partir da revisão de literatura, este artigo visa conhecer as dimensões do processo de alfabetização segundo a abordagem freiriana de educação e sua relação com o bem-estar subjetivo. Esta pesquisa foi realizada com base em dois estudos empíricos: (1) estudo psicométrico de construção e validação de um instrumento de avaliação sobre o processo de alfabetização e (2) um estudo correlacional sobre as dimensões do bem-estar subjetivo e sua relação com o processo de alfabetização. A pesquisa ocorreu na cidade de Juazeiro do Norte - CE. Participaram pessoas adultas com idade compreendida entre 20 e 60 anos, do género masculino e feminino. Dada a pertinência deste estudo, os resultados são pouco significativos no âmbito do processo da alfabetização como fator preditor do bem-estar subjetivo. Referem-se algumas limitações e estudos futuros para validação de construtos de Alfabetização e do Bem-Estar Subjetivo.

Biografia do Autor

José Leandro Neto, Centro Universitário Dr. Leão Sampaio

Coordenador e Professor da UNILEÃO.

Erick Klepton Oliveira, UNILEÃO

Discente do curso de Psicologia da Unileão

Luiz Kennedy Almeida Silva, UNILEÃO

Discente do curso de Psicologia da Unileão

Millena Raianny Xavier Silva, UNILEÃO

Discente do curso de Psicologia da Unileão

Maria Patrícia Alencar, Centro Universitário Doutor Leão Sampaio (UNILEÃO)

Discente do curso de Administração

João Borges Lopes, Instituto Piaget, Universidade de Évora e Universidade do Algarve -Portugal

Professor Universitário e Investigador – Instituto Piaget, Universidade de Évora e Universidade do Algarve -Portugal

Referências

ALBUQUERQUE, A. S.; TRÓCCOLI, B. T. Desenvolvimento de uma escala de bem-estar subjetivo. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 20, n. 2, p. 153-164, 2004.

CASULLO, M. M.; LIPORACE, M. F. Diseño de un instrumento psicométrico para evaluar concepciones sobre la sabiduría. Anuario de investigaciones. v. 15, p. 291-296, 2010.

DIAS, R. et al. Resilience of caregivers of people with dementia: a systematic review of biological and psychosocial determinants. Trends Psychiatry Psychotherapy. v. 37, n. 1, p. 12-19, 2015.

DIAZ, R. P.; ARROYO, J C. Personality Factors, Affect and Autonomy Support as Predictors of Life Satisfaction. UniversitasPsychologica. v. 12, n. 1, p. 41-53, 2013.

DIENER, E. Subjective well-being: the science of happiness and a proposal for a national index. American Psychologist. v. 55, n. 1, p. 34-43, 2000.

DULLO, E. Paulo Freire e a produção de subjetividades democráticas: da recusa do dirigismo à promoção da autonomia. Pro-Posições, v. 25, n. 3, p. 23-43, 2014.

FALKEMBACH, E. O pensamento político-pedagógico de Paulo Freire: diálogos com a educação no século XXI. Revista Festim: experiências educacionais. v 1., n. 2, p. 15-22 2015.

FREIRE, P. A importância do ato de ler. São Paulo: Moderna, 2003.

____. Pedagogia do oprimido: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2012.

____. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

____. Alfabetização: leitura do mundo, leitura da palavra. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014.

____. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática pedagógica. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015.

MURATORI, M.; DELFINO, G. I; ZUBIETA, E. M. Percepción de anomia, confianza y bienestar: la mirada desde la psicología social. Revista de Psicología. v. 31, n. 1, p. 129-150, 2013.

NORONHA, A. P. P.; MANSAO, C. S. M. Interesses profissionais e afetos positivos e negativos: estudo exploratório com estudantes de ensino médio. Psico-USF, v. 17, n. 2, p. 323-331, 2012.

SELIGMAN, M. E. P. Felicidade autêntica: os princípios da psicologia positiva. Cascais: Pergaminho SA, 2008.

SELIGMAN, M. E. P. Learned optimism: How to change your mind and your life. New York: Vintage, 2011.

SNYDER, C. R.; LOPEZ, S. J. Psicologia positiva: uma abordagem científica e prática das qualidades humanas. São Paulo: Artmed, 2009.

VERA-VILLARROEL, P.; CELIS-ATENAS, K.; CORDOVA-RUBIO, N. Evaluación de la Felicidad: Análisis Psicométrico de la Escala de Felicidad Subjetiva en Población Chilena. Terapia Psicológica. v. 29, n. 1, p. 127-133, 2011.

WISSING, M. P. et al. Validation of three Setswana measures for psychological wellbeing. SA TydskrifvirBedryfsielkunde. v. 36, n. 2, p. 1-8, 2010.

ZANON, C. et al. Relationships Between Positive and Negative Affect and the Five Factors of Personality in a Brazilian Sample. Paidéia, v. 23, n. 56, p. 285-292, 2013.

Downloads

Publicado

2019-01-09

Edição

Seção

Humanas